SETOR
INDÚSTRIA CERÂMICA

De acordo com a Classificação Portuguesa das Actividades Económicas - Revisão 3 (CAE - Rev.3) em vigor, a indústria de cerâmica tem o seguinte enquadramento:
Secção Divisão Grupo Classe Subclasse Designação
C 23 232 2320 23200 Fabricação de produtos refratários
    233     Fabricação de produtos cerâmicos para a construção
           
      2331   Fabricação de azulejos, ladrilhos, mosaicos e placas de cerâmica
        23311 Fabricação de azulejos
        23312 Fabricação de ladrilhos, mosaicos e placas de cerâmica
           
      2332   Fabricação de tijolos, telhas e de outros produtos cerâmicos para a construção
        23321 Fabricação de tijolos
        23322 Fabricação de telhas
        23323 Fabricação de abobadilhas
        23324 Fabricação de outros produtos cerâmicos para a construção
           
    234     Fabricação de outros produtos de porcelana e cerâmicos não refratários
      2341   Fabricação de artigos cerâmicos de uso doméstico e ornamental
        23411 Olaria de barro
        23412 Fabricação de artigos de uso doméstico de faiança, porcelana e grés fino
        23413 Fabricação de artigos de ornamentação de faiança, porcelana e grés fino
        23414 Atividades de decoração de artigos cerâmicos de uso doméstico e ornamental
           
      2342 23420 Fabricação de artigos cerâmicos para usos sanitários
      2343 23430 Fabricação de isoladores e peças isolantes em cerâmica
      2344 23440 Fabricação de outros produtos em cerâmica para usos técnicos
      2349 23490 Fabricação de outros produtos cerâmicos não refratários
  • A Indústria de ceramica corresponde aos Grupos 323, 233 e 234 da CAE - REV.3,  e abrange os seguintes subsectores: cerâmica estrutural ( telhas, tijolos e abobadilhas); pavimentos e revestimentos; louça sanitária; cerâmica utilitária e decorativa ( louça em porcelana, faiança, grés e barro comum) e cerâmicas especiais ( isoladores e peças isolantes, cerâmica para usos técnicos, outros produtos cerâmicos não refractários e produtos cerâmicos refractários).

 

  • Tendo como referência o ano de 2011, o sector é composto por 385 empresas, das quais 303 se encontram activas.Estas empresas proporcionam emprego a 15.205 trabalhadores. O respectovo volume de negócios ascende a 923,5 milhões de euros e o valor acrescentado bruto corresponde a 338,8 milhões de euros.

 

  • Trata-se de um sector fortemente exportador que, em 2011, realizou vendas em 151 mercados internacionais.

Te

Fonte: APICER, a partir dos dados das Declaraes Anuais IES entregues em 2012 (relativas a 2011)
O valor das exportações portuguesas foi de 557,4 milhões de euros, enquanto que o das importações não ultrapassou os 116,5 milhões de euros.
 
A taxa de cobertura das importações pelas exportações na indústria cerâmica ( 478,7% em 2011) e o saldo da balança comercial de produtos cerâmicos ( +440,9 milhões de euros) representa um dois valores mais elevados da indústria transformadora portuguesa.